Segunda-feira, 26 de Dezembro de 2011


És um constante pensamento no meu próprio pensamento. Como se não me lembrasse de mais nada. Onde nasci, onde moro, quem são os meus pais, onde cresci. Não me recordo se sofri algum acidente ou apenas é puro esquecimento. Por mais que tente ou lute, por mais que me esforce em esquecer-te acabo sempre falhando.
Tudo o que faço ou o que insistem em dizer-me é pouco relevante, porque negas em sair-me do pensamento.
Recordo-me daquele dia na praia, estava com a câmara na mão tentando tirar-te uma foto, captar o ângulo perfeito. Como se fosse impossível, sendo tu tão bonita como aquela paisagem que repousava por de trás de ti. 
Olhavas para o chão mas insistias em olhar-me como me provocando, afastando sempre os teus cabelos longos e ruivos do teu rosto.
Lembro-me, como se tivesse sido um sonho, tinha finalmente encontrado o momento perfeito, pressionei o botão e o flash disparou. Desviei o meu olhar da câmara para te observar, mas já não te encontravas lá.
Desde então insistes em não sair do meu pensamento, como se já dominasses o meu mundo.


publicado por joao às 22:18 | link do post | favorito

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.